Tríada - Evolua em todos os sentidos | Corpo - Mente - Alma

Página Inicial » Bem-estar e saúde » Meditação Meditação zazen pass...

Meditação zazen passo a passo

Publicado por Redação em 17/09/2010 às 16h26

Encontre um lugar agradável, relaxe corpo e mente e curta essa aula para aprender a praticar o zazen, um estado meditativo profundo. Quem ensina é Monja Coen, fundadora da Comunidade Zen Budista do Brasil

Texto • Monja Coen
 


 

A prática da meditação no zen-budismo, o zazen, não é feita para limpar a mente, nem mesmo para esvaziá-la, e sim para nos tornar unos com nossa essência verdadeira, com aquele eu imenso que contém todos os sentimentos, as emoções, as percepções e as concepções que temos a respeito da vida.

Zazen, literalmente, significa sentar zen. Zen é uma palavra que vem do sânscrito “dhyana” ou “jhana” e significa um estado meditativo profundo. O zazen não pode ser confundido com o verbo meditar, que é transitivo, ou seja, requer um objeto – meditar sobre a vida, meditar algo. O zen é intransitivo. Não há objeto de meditação. Até o sujeito desaparece. E, quando isso acontece, o caminho se manifesta em sua plenitude.

Para praticar o zazen, arranje um cantinho sossegado, acenda um incenso de sândalo e sente-se com as costas bem retas. Há várias maneiras de sentar-se: posição das bermudas, meia lótus, lótus completa, banquinho, cadeira. Em qualquer uma delas, coloque as mãos sobre os joelhos, com as palmas para cima. Balance o corpo lentamente da esquerda para a direita, de movimentos maiores a menores, como um pêndulo, até encontrar o centro de equilíbrio do corpo. Pare nesse ponto.

Preste atenção se as orelhas ficam alinhadas com os ombros e o nariz alinhado com o umbigo. Esvazie os pulmões, soltando todo o ar profundamente pela boca, cerca de três vezes. Relaxe qualquer parte do corpo em que sinta tensão. Em seguida, coloque as mãos em mudra cósmico (mão direita embaixo, com a palma voltada para cima e a parte de trás dos dedos da mão esquerda repousando na palma dos dedos da direita, mantendo a mão esquerda com a palma para cima. Então, encoste levemente os dois polegares, como se houvesse uma finíssima folha de seda entre eles). Perceba que suas mãos estarão formando uma elipse, assim como os planetas em torno do Sol – o cosmos está em suas mãos.

Em seguida, coloque a ponta da língua no palato superior, tocando de leve atrás dos dentes frontais.  Ao mesmo tempo, mantenha os olhos entreabertos, apenas pousados à sua frente.

Assim, sem pensar e sem não pensar, sente-se calmamente por algum tempo. Alguns ficam em zazen por 40 minutos, outros por 30 ou mesmo 20. O importante é adaptá-lo à sua realidade. Para quem nunca praticou nenhuma forma de meditação, mesmo cinco minutos pode ser um bom começo. Não tenha pressa.

Tendo assim assentado corpo e mente, perceba sua respiração. Sinta se está sendo abdominal (ao inalar, o abdome se expande ao exalar, contrai-se) ou torácica (a caixa torácica se expande e contrai-se). Perceba seus batimentos cardíacos. Ouça todos os sons, próximos e distantes. Sinta as fragrâncias do ambiente. Perceba o ar, sua textura, sua temperatura, a luz e a sombra que se formam onde seus olhos estão pousados. Verifique sua postura, a posição das mãos, da coluna, da língua e oxigene áreas de tensão. Perceba seus pensamentos. Como se formam, como desaparecem. Observe se pensa em formas, palavras, música, cores, imagens. Entretanto, não fique pensando apenas. Torne-se um ser uno com a vida do universo em constante fluir.

Lembre que o zazen é um momento de Buda. Momento de perceber que tudo é passageiro, de relaxar e sorrir.

 

Monja Coen é missionária oficial da tradição japonesa Soto Shu – Zen Budismo, além de ser a fundadora da Comunidade Zen Budista do Brasil, criada em 2001.
 

 
Recomendar Comentar Enviar por email Compartilhar Imprimir
COMPARTILHE NA REDE
ENVIAR POR EMAIL
Matérias relacionadas
Deixe seu comentário
Laucinélio Gomes de Resende comentou às 10h59 em 10/01/2015 responder denunciar

Prefiro a meditação imanente à meditação transcendente por ser mais ligado à Natureza como um todo. Nao sou místico, esotérico e nem ocultista, sou materialista monístico, vegetariano, humanista e naturalista. Não necessito de guru.

taozen comentou às 10h24 em 28/01/2012 responder denunciar

Por favor,salve-me da ignorancia e me revele a verdade q procuro e nao a encontro,estou a pesquisar sobre dhammapada e theravada,mas so encontro particulas nao confiaveis na net,so encontro professores e pessoas q se dizem ser mestres,mas nao e verdade!Pois cobrao taxas ou querer q compremos quase q obrigatoriamente livros para conhecer mos os conhecimentos melenares,mas como podem ser mestres sem conhecer a sabedoria muito mais antiga q buda,q e !Conhecimento pertence a todos q queirao aprender e se libertar da ignorancia,nao e uma coisa a ser guardada dentro de baus ou ser vendida como mercadoria futil!descumpeme sei q a custos para tudo no mundo moderno mas estamos falando da propagaçao das palavras e escrituras da sabedoria budista,teria q ser tratada como a joia da humanidade q todos tem acesso e direito,tanto os ricos como os mais humindes de recursos como eu!taozen07@hotmail.com SALVE-ME

Denunciar abuso no Site

Você está ajudando o Triada a controlar o conteúdo que está violando as políticas de privacidade do site.
Onde está o abuso que você está denunciando?


Adicione um comentário sobre essa denúncia:



Enviar

Obrigado!




  • + Da Semana
  • + Do Mês
  • + Comentadas
Inscreva-se em nossa Newsletter e receba em seu email nossas atualizações.

Twitter

Acompanhe-nos no twitter e fique por dentro das notícias em tempo real!
Siga-nos »
ACOMPANHE-NOS TWITTER ORKUT RSS NEWSLETTER