Tríada - Evolua em todos os sentidos | Corpo - Mente - Alma

Página Inicial » Cultura » História Os gladiadores da Ro...

Os gladiadores da Roma Antiga

Publicado por Redação em 01/07/2010 às 20h05

Em cenários incríveis, as lutas eram banhadas em violência e sangue quente. Ao vencedor, glória e aclamação pública. Confira detalhes sobre os lendários combates que causavam o delírio dos cidadãos da Roma Antiga

Texto • Redação
 


 

Público

A primeira luta na presença de uma platéia aconteceu no século 3 a.C., num combate entre três duplas, realizado em homenagem ao pai de Décimo Bruto e seu irmão, Marcus.
 

Times

Os lutadores pertenciam a grupos específicos, com armamentos diferenciados. A classe dos secutores, por exemplo, usava escudo e punhal, enquanto os retiarius portavam uma rede, tridente e punhal. Existiam mais de dez tipos de gladiadores.
 

Diversidade

Os espetáculos também reuniam anões, que lutavam entre si ou com outros gladiadores, e mulheres, que combatiam com um dos seios à mostra. Aliás, essas lutas eram bastante comuns, sobretudo no período do imperador Domiciano (líder entre os anos 81 e 96 d.C.).
 

Preparação

Antes de entrarem numa arena, aspirantes a gladiadores passavam por treinamentos. Escolas de gladiadores espalhavam-se por várias cidades do território romano. A maior de todas as escolas era a Ludus Magnus, que ficava ao lado do Coliseu e era ligada a este por um túnel.
 

Sacrifício

Nos espetáculos com animais, a diversidade de espécies que acabaria sacrificada era enorme: de leões a crocodilos.
 

Superstição

Em algumas ocasiões, pessoas da platéia podiam tocar os corpos dos mortos. Provar o sangue dos valentes que morriam em combate era uma forma de ganhar um pouco de sua força. Nobres também bebiam do sangue de gladiadores, acreditando na cura da epilepsia.
 

Revolta

Numa realidade calcada na força e no regime escravo, a rebelião encabeçada por Espártaco incomodou o até então inabalável poderio romano. Grego, nascido no início do século 1 a.C., Espártaco vivia como pastor, até ser capturado e se tornar soldado do Império Romano. Depois de desertar, foi preso novamente, escravizado e vendido a uma escola de gladiadores. Em 73 a.C, ele fugiu em companhia de outros gladiadores, chegando a formar um exército de 90 mil homens. Foram várias as vitórias que obtiveram sobre as tropas romanas, até a morte do líder da rebelião, em combate, em 71 a.C.
 

Morte

Descoberto em 1993, um cemitério em Éfeso, na Turquia, abrigava restos mortais de 67 gladiadores. A identificação dos guerreiros foi possível graças aos relevos presentes nas tumbas, que descreviam o tratamento diferenciado conferido a esses lutadores.
 

 
Recomendar Comentar Enviar por email Compartilhar Imprimir
COMPARTILHE NA REDE
ENVIAR POR EMAIL
Matérias relacionadas
Deixe seu comentário
douglas comentou às 14h04 em 04/11/2013 responder denunciar

as lutas de gladiadores deveriam ser mt legal em roma

natanael comentou às 11h55 em 21/11/2011 responder denunciar

muito bom para os alunos da 5 serie

mayara comentou às 10h31 em 02/11/2011 responder denunciar

adorei o comentario achei o maximo

OS GLADIADORES comentou às 15h17 em 05/10/2011 responder denunciar

GOSTEI

OS GLADIADORES comentou às 14h45 em 05/10/2011 responder denunciar

MUITO LEGAL

Denunciar abuso no Site

Você está ajudando o Triada a controlar o conteúdo que está violando as políticas de privacidade do site.
Onde está o abuso que você está denunciando?


Adicione um comentário sobre essa denúncia:



Enviar

Obrigado!




  • + Da Semana
  • + Do Mês
  • + Comentadas
Inscreva-se em nossa Newsletter e receba em seu email nossas atualizações.

Twitter

Acompanhe-nos no twitter e fique por dentro das notícias em tempo real!
Siga-nos »
ACOMPANHE-NOS TWITTER ORKUT RSS NEWSLETTER