Tríada - Evolua em todos os sentidos | Corpo - Mente - Alma

Página Inicial » Dieta » Cardápios light Guia de especiarias

Guia de especiarias

Publicado por Redação em 29/07/2010 às 17h57

Exóticas e aromáticas, elas exaltam o prazer à mesa, perfumam a casa e ainda são poderosas aliadas na manutenção de nossa saúde. Aproveite, então, o mundo desses temperos da vida!

Texto • Isis Gabriel


 

Elas têm o poder de transformar o simples ato de saciar a fome em um banquete memorável. E muito além das cozinhas, as especiarias espalharam seus aromas em outros ambientes e marcaram a história mundial. Foi atrás delas, por exemplo, que os portugueses no século XIV cruzaram os Oceanos e, dizem por aí, descobriram sem querer uma terra que mais tarde batizaram de Brasil. Além de proporcionar sabores especiais aos pratos, as especiarias, na época das Grandes Navegações, também mascaravam o gosto ruim dos alimentos, que naqueles tempos de longas viagens apodreciam facilmente. Hoje as necessidades são outras, mas nem por isso estes temperinhos deixaram de nos fascinar. A seguir, saiba mais sobre esses ingredientes que dão mais sabor à vida.
 

Pimenta malagueta

Condimento picante natural da América, a malagueta permaneceu como um segredo dos espanhóis até o final do século XV, quando Colombo a introduziu na Europa. Quando moída com suas sementes, ganha o nome de pimenta cayena. Possui uma substância chamada capsaicina, que deixa a pimenta ardida e é um ótimo anticoagulante. Possui vitaminas C e E, antioxidantes que retardam o processo de envelhecimento. As pimentas malaguetas condimentam molhos picantes e são estrelas de pratos tradicionais mexicanos como o chili com carne.

 

Baunilha

Vainilla, em espanhol, significa “pequena vagem” ou simplesmente, “baunilha”. Esta vagem é originária de uma orquídea trepadeira mexicana que pode atingir até 30 metros de comprimento. Podemos descobrir onde estão plantadas farejando o seu perfume. Os astecas já utilizavam a baunilha para aromatizar o “xoco-late” (chocolate quente) e foram eles também que desenvolveram a técnica de cristalizar suas favas. É uma especiaria relativamente cara, por isso, grande parte que se encontra no mercado, na forma líquida, são imitações químicas. As melhores são encontradas em favas cheias e tenras, de cor castanho-escura e cobertas por uma camada de cristais aromáticos. De todos os lugares onde é cultivada, como Madagascar e Porto Rico, apenas no México é polimerizada naturalmente por insetos que vivem apenas naquela região.

 

Cravo-da-Índia

As primeiras notícias que se tem do uso desta especiaria vêm da China, onde os súditos da dinastia Han (206 a.C - 220 d.C) mascavam cravo antes de falar com os imperadores. E desde aquela época é usado como condimento, remédio e aromatizante. Hoje, sabe-se que o eugenol, óleo essencial desta planta, tem efeito antiinflamatório, cicatrizante e analgésico. Os cravos que usamos na culinária são botões florais de uma árvore que pode atingir até 12 metros de altura.

 

Orégano

Ao lado do manjericão e da manjerona, é um tempero tipicamente italiano, nativo da região mediterrânea e presença certa em pizzas e molhos de tomate. Suas folhas secas vão bem também com sopas de legumes, ovos, pratos com queijo ou cebolas, em saladas de frutos do mar, carnes vermelhas ou brancas, azeitonas pretas e aperitivos com queijo e azeite. Possui propriedades digestivas e sua infusão é recomendada para tratar problemas de tosse e cólicas intestinais. Uma receitinha simples recomenda colocar ramos de orégano fresco em uma garrafa de vidro com vinagre branco. Tampe o vidro e deixe a mistura descansar por pelo menos 15 dias, depois é apreciar o vinagre aromático em molhos de salada.

 

Páprica

Pó geralmente obtido do pimentão doce, seco e triturado, ao qual podem ser acrescentados outros tipos de pimentões e pimentas. De acordo com a mistura, é classificada em páprica doce, meio-doce e picante. Originária da América Central, foi levada à Europa pelos colonizadores. E é de lá que hoje sai a maior parte da produção desta especiaria aromática e de cor vermelho-viva. Um pesquisador húngaro ganhou o Prêmio Nobel de Ciência ao demonstrar que esta especiaria é rica em vitaminas C e A.

 

Canela

Conta-se que a rainha egípcia Hatshepsut usava-a para perfumar-se e que Moisés recebeu de Deus uma receita de óleo sagrado feito à base de canela. Assim, desde a antiguidade, a canela é uma das especiarias mais conhecidas e utilizadas pela humanidade. Existem, basicamente, dois tipos de canela: uma nativa do Sri Lanka, mais adocicada e suave e outra, proveniente da China, mais forte e picante. O condimento é obtido dos ramos mais finos de uma árvore e pode ser usado tanto em prato doces como salgados, além de bebidas, óleos essenciais e cosméticos em geral. Um estudo do US Agricultural Research Service demonstrou que pessoas com diabetes tipo 2 que consumiram metade de uma colher de chá por dia tiveram os níveis de açúcar no sangue reduzidos.

 

Gengibre

Uma das primeiras especiarias orientais a circular pela Europa, esta raiz de sabor e cheiro muito forte foi, provavelmente, o tempero mais popular até o século 14. Hoje em dia, é mais lembrada quando falamos da culinária oriental – muitos dos mais tradicionais pratos da culinária indiana, por exemplo, levam o seu gostinho peculiar. O gengibre pode ser usado em pratos doces e salgados, chás, cervejas e vinhos, e é indispensável para fazer o famoso quentão das festas juninas. Ralado, fresco, seco ou em pó, confere é sempre presença marcante.

 

Anis-estrelado

Esta estrelinha parece ter sido feita especialmente para servir como elemento decorativo, mas o anis-estrelado confere muito mais que beleza aos pratos. Fruto de uma árvore nativa da China que atinge até 8 metros de altura, esta especiaria nasce como uma flor amarela que depois dá lugar aos frutos castanhos que, quando maduros, abrem-se em forma de estrela. Seu aroma é muito parecido com o da erva-doce e seu óleo é utilizado em licores e pratos tradicionais da cozinha chinesa e vietnamita. Ótimo diurético, sua infusão alivia dores de garganta e, quando queimado, funciona como incenso, perfumando ambientes.
 

Fonte consultada

Ervas & especiarias, de Nelusko Linguanotto Neto (Boccatto Editores). Verdadeira enciclopédia ilustrada de especiarias, reúne histórias, curiosidades, aplicações práticas e receitas culinárias.

 

 
Recomendar Comentar Enviar por email Compartilhar Imprimir
COMPARTILHE NA REDE
ENVIAR POR EMAIL
Matérias relacionadas
Deixe seu comentário
louis vuitton sito ufficiale comentou às 15h33 em 16/03/2013 responder denunciar

This is some nice material. It took me a while to finally find this site but it was worth the time. I noticed this content was hidden in google and not the number one spot. This webpage has a ton of high-quality stuff and it doesnt deserve to be burried in the search engines like that. By the way I am going to add this web page to my list of favorites. [url=http://www.louis-vuittonw.com/]louis vuitton sito ufficiale[/url] louis vuitton sito ufficiale

Denunciar abuso no Site

Você está ajudando o Triada a controlar o conteúdo que está violando as políticas de privacidade do site.
Onde está o abuso que você está denunciando?


Adicione um comentário sobre essa denúncia:



Enviar

Obrigado!




  • + Da Semana
  • + Do Mês
  • + Comentadas
Inscreva-se em nossa Newsletter e receba em seu email nossas atualizações.

Twitter

Acompanhe-nos no twitter e fique por dentro das notícias em tempo real!
Siga-nos »
ACOMPANHE-NOS TWITTER ORKUT RSS NEWSLETTER