Tríada - Evolua em todos os sentidos | Corpo - Mente - Alma

Página Inicial » Dieta » Reeducação mental Invista na dieta da ...

Invista na dieta da inteligência

Publicado por Redação em 13/12/2010 às 18h49

Cada vez mais, estudos apontam uma associação direta do bom aproveitamento das capacidades mentais com a maneira de nos alimentarmos. Será mesmo? Descubra agora o que, de fato, pode ser benéfico incluir em sua dieta

Texto • Vanessa Reis

Quem nunca tomou chá de alho para melhorar logo da gripe ou suco de couve com leite, acreditando aliviar dores estomacais? Pois nutricionistas de todo o mundo têm ido cada vez mais fundo no assunto, trazendo revelações interessantíssimas sobre o modo como os nutrientes adequados podem fazer diferença também em nossos processos mentais.

Com o passar dos anos, a mente, assim como o corpo, tem sua capacidade de funcionamento reduzida por conta dos radicais livres, que comprometem a atuação dos neurônios. É sabido que hábitos simples, como exercícios físicos e mentais, podem amenizar ou até mesmo reverter esse desgaste, mas o agente nutricional também vem sendo considerado fundamental para o estímulo da memória, da criatividade, do bom-humor e da inteligência.

Segundo a nutricionista Vivian Zollar, alguns nutrientes exercem funções preventivas e reparadoras das células neurológicas, como é o caso, dentre outros, dos ácidos graxos ômega-3, vitaminas B6, B12 e do ácido fólico. Os que possuem propriedades mais combativas aos radicais livres são as vitaminas E e C e o selênio, encontrados principalmente em alimentos de origem vegetal, como frutas, verduras, legumes, alimentos integrais, grãos e castanhas.

No entanto, a especialista enfatiza que é o hábito de uma alimentação balanceada, com alimentos de todos os grupos, o que proporciona a variedade de nutrientes necessária ao bom funcionamento do organismo e, consequentemente, o suprimento necessário para um cérebro mais saudável.

A seguir, listamos alguns alimentos comuns à mesa do brasileiro e suas propriedades nutritivas que, segundo pesquisas do mundo todo, têm o consumo diretamente benéfico ao intelecto. Confira!

 

Leite

Quando consumido em conjunto com certos carboidratos (como cereais e pão integral), o triptofano, aminoácido presente no leite, contribui para o aumento da serotonina – substância relacionada às alterações emocionais. Alguns estudos até associam a depressão à insuficiência do triptofano no organismo. A combinação do aminoácido com os carboidratos leves ainda pode aliviar dores e melhorar o sono, quando utilizado pouco antes de dormir. O leite materno também é apontado como benéfico para o desenvolvimento da cognição na infância, por possuir quantidade significativa de ômega-3. E a duração de seus benefícios se extende por toda a vida.

 

Vegetais verde-escuros

Eles contém ácido fólico, que ajuda os neurotransmissores a funcionarem de maneira eficaz. Brócolis, espinafre, feijões e carnes magras apresentam o nutriente.

 

Frutas e legumes amarelos

Combatem o envelhecimento celular em função das propriedades antioxidantes. Aposte em abóbora, cenoura, mamão, manga e pêssego. A banana, por sua vez, contém a vitamina B6, que também age na formação da serotonina – um potente neurotransmissor que agiliza os processos cerebrais. Encontra-se a B6, ainda, na batata e no espinafre cozido.

 

Fibras

Apresentam o inositol, substância que pode ser encontrada também em alguns alimentos integrais, nas frutas, no levedo da cerveja e nas nozes. Em geral, contribuem para a saúde intestinal e, consequentemente, para a melhor absorção dos nutrientes. O que também coopera para o bom funcionamento do cérebro.

 

Ovos

Assim como alguns legumes, são ricos em colina, também um aminoácido – sua deficiência está associada ao Mal de Alzheimer. Consumi-la em quantidades regradas e constantes, portanto, pode ser uma boa arma para evitar a doença. Esse nutriente também facilita a produção de acetilcolina, que é importante para o bom funcionamento da memória.

 

Chás

O manganês, presente em muitos dos chás mais comuns, é um mineral que constitui várias das enzimas encontradas em nosso corpo. Funciona como antioxidante e ainda envolve-se nos processos de metabolismo energético, tireóide e controle da glicose sanguínea. Está muito presente, além de nos cereais, nos chás verdes, pretos e de abacaxi.

 

Peixes

Espécies como atum, cavalinha, sardinha e salmão têm a carne bastante rica em ômega-3, óleo que age diretamente sobre a membrana celular. Assim, facilita a comunicação entre os neurônios, e por isso é considerado por nutricionistas um eficiente combatente aos casos de depressão. Anote aí: outro alimento rico em ômega-3 é a linhaça.

 

Oleaginosas

São as plantas vegetais que produzem óleos e gorduras, como castanhas, nozes, amêndoas, avelãs e amendoins. Funcionam como potentes antioxidantes, além de conter ácido linolênico, rico em selênio e vitamina E, bons para o cérebro. O consumo diário de duas a três unidades de castanha brasileira (a “castanha do Pará”) traz ao organismo quantidades significativas do selênio.

 

Frutas vermelhas

Além de ajudarem a memória, atuam diretamente contra os radicais livres, o que equilibra e potencializa as funções mentais. Bons exemplos são cereja, amora, framboesa, melancia, morango, pitanga e tomate.

 

Soro da memória

Pesquisas recentes realizadas na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul, encontraram no soro do leite uma substância rica para a manutenção da boa memória. Repleta em proteínas e lipídios, o chamado “soro da memória” atua diretamente nos neurônios, facilitando a transmissão de informações.

É possível preparar o líquido em casa, utilizando leite tipo A ou B. Os vendidos em caixa ou em pó não têm o mesmo efeito, pois o processo industrial acaba com as propriedades necessárias para o soro.

As pesquisas apontam que os efeitos sobre a memória podem ser notados já a partir de três meses de ingestão diária da poção quase milagrosa – cerca de meio copo por dia, de preferência antes de dormir. Quer experimentar? A nutricionista Denize Ziegler, da Unisinos, ensina como: para cada litro de leite, misture o suco de um limão inteiro. Deixe descansar de quatro a doze horas, até coagular. Depois, separe a parte sólida da líquida com uma peneira bem fina. O que sobra é o soro da memória. Dura de três a cinco dias na geladeira. Também pode ser congelado.

 

 

 
Recomendar Comentar Enviar por email Compartilhar Imprimir
COMPARTILHE NA REDE
ENVIAR POR EMAIL
Matérias relacionadas
Deixe seu comentário
João Pedro comentou às 01h41 em 07/09/2013 responder denunciar

O soro da memória é a parte líquida ou a sólida da separação do leite?

Denunciar abuso no Site

Você está ajudando o Triada a controlar o conteúdo que está violando as políticas de privacidade do site.
Onde está o abuso que você está denunciando?


Adicione um comentário sobre essa denúncia:



Enviar

Obrigado!




  • + Da Semana
  • + Do Mês
  • + Comentadas
Inscreva-se em nossa Newsletter e receba em seu email nossas atualizações.

Twitter

Acompanhe-nos no twitter e fique por dentro das notícias em tempo real!
Siga-nos »
ACOMPANHE-NOS TWITTER ORKUT RSS NEWSLETTER