Tríada - Evolua em todos os sentidos | Corpo - Mente - Alma

Página Inicial » Dinheiro e Carreira » Dicas de economia Multiplique seus ren...

Multiplique seus rendimentos

Publicado por Redação em 27/10/2010 às 22h25

O renomado consultor e autor de best-sellers Gustavo Cerbasi ensina como qualquer um – sim, qualquer um! – pode ser um investidor e garantir rendimentos estáveis por toda a vida

Texto • Thiago Perin


 

Gustavo Cerbasi tem o que a grande maioria das pessoas almeja: independência financeira. Isso significa que ele não precisa mais trabalhar e – com pouco mais de 30 anos de idade – pode se manter pelo resto da vida com os rendimentos do dinheiro que, estrategicamente, poupou e investiu nos últimos anos. Parece utópico? Pois não é.

Segundo ele, qualquer um pode garantir um futuro financeiramente estável, com um pouco de planejamento e escolhas sensatas de investimento. E ele pode dizer. Além de exemplo vivo de sucesso econômico, Gustavo Cerbasi é mestre em Administração/Finanças pela USP e autor de seis livros – entre eles o best-seller Casais inteligentes enriquecem juntos (Editora Gente), de 2004 – que contabilizam números impressionantes de vendagem no país. Neles, revela o universo financeiro de forma prática e descomplicada, mostrando que administrar o dinheiro de maneira eficiente e atingir também o status de independência é possível e menos difícil do que você imagina.

Nessa entrevista exclusiva, Cerbasi explica por que o brasileiro tem tanta dificuldade em controlar as finanças, dando dicas valiosas sobre como e quando poupar e investir, para garantir uma vida tranquila e uma estabilidade invejável após a aposentadoria. Confira!
 

O que impede que as pessoas de classe média consigam administrar suas finanças de modo a pagar as contas e ainda poupar todo mês? É a mentalidade?

Mentalidade é um termo simplista para explicar um grave problema cultural brasileiro. Temos duas questões mal resolvidas. Primeiro, nossa história de pobreza, que provoca na classe média um desejo de provar a si mesma que evoluiu em termos de padrão de vida. Segundo, um conjunto de vícios de consumo herdados do longo período de turbulência econômica, que impediu as famílias de se planejarem e as cegou para o planejamento de longo prazo. Como consequência, o brasileiro quer dar a seus filhos muito mais do que teve em sua infância, e lida com vícios como excesso de compras a prazo, criação de estoques e falta de planejamento.
 

Qual a fatia do salário que uma pessoa deve se comprometer a poupar mensalmente para atingir a independência financeira?

Cerca de 10% de toda a renda ganha ao longo de 30 anos de carreira, para viabilizar uma aposentadoria no mesmo padrão da média de consumo ao longo da vida. Se obtiver rendimentos acima da média, atingirá seus objetivos até antes deste prazo. O ideal, porém, é poupar entre 15 e 20% da renda, visando elevar o padrão de consumo gradativamente, inclusive após a aposentadoria.
 

Existe um momento ou época ideal para começar a investir? Como identificá-lo?

Quanto antes melhor. A partir do momento que você receber qualquer tipo de renda, deve tomar decisões de investimento.
 

Que tipo de investimento não é recomendado para quem ainda está engatinhando nesta área?

Não há investimento ruim, mas sim investidores mal preparados. Por isso, sugiro às pessoas que não coloquem o dinheiro naquilo que não conhecem. O ideal é ter ao menos duas fontes diferentes de informações a respeito da aplicação.
 

Como o investidor novato deve se portar em uma época de crise ou de inflação em alta, como agora? É melhor passar longe da bolsa?

Um dos mais graves erros ao investir é ficar continuamente mudando a estratégia de investimento, de acordo com a temperatura do termômetro. É importante adotar uma estratégia e ter consistência nas crises e na bonança. Quem sempre seguiu a lição básica de alocar seus recursos em renda fixa e variável, ganha na renda fixa nas crises e na renda variável na euforia. Se a baixa for forte, a pessoa deve compensar as perdas adquirindo mais ações, e deve passar longe da bolsa quando são anunciados lucros recordes.
 

No que diz respeito à educação financeira, você é a favor da mesada? É bom iniciar a relação da criança com o dinheiro logo cedo?

Sem dúvida. A mesada deve ser sugerida pelos pais, caso o interesse não parta dos filhos, assim que a criança for introduzida às contas matemáticas básicas. É um instrumento para que os pais consigam explicar a ela como funciona o uso do dinheiro no dia-a-dia e prepará-la para a vida adulta.  Porém, a mesada não deve ser entendida como presente ou como um direito; é importante que a criança entenda que essa é uma oportunidade de administrar uma pequena parte do orçamento da família.
 

Vamos falar um pouco sobre o grande projeto do brasileiro: o sonho da casa própria. O aluguel às vezes não pode ser mais compensador? E o financiamento, há chances de ser um bom negócio?

O financiamento é um ótimo negócio para moradias populares, pois os juros são mais baixos e o aluguel é proporcionalmente mais caro para imóveis pequenos. Matematicamente, o aluguel é mais compensador para imóveis de médio e alto padrão. O erro mais comum não está em comprar a casa própria, mas sim em fazê-lo antes da hora, quando seria um bom momento para acumular riqueza e manter a vida flexível para oportunidades de carreira. O ideal é comprar a moradia, mesmo que financiada, depois que a vida adquire certa estabilidade.
 

Em termos pessoais, você considera que já tenha feito alguma escolha de investimento infeliz? E qual foi o seu grande acerto?

Minha escolha mais infeliz foi com meu primeiro investimento em ações. Investi R$ 6 mil, e vendi na hora errada, saindo com R$ 3 mil. Se tivesse tido paciência, teria saído com R$ 18 mil dez meses depois. Meu grande acerto foi perceber que, na época em que o Lula estava a caminho de ser eleito pela primeira vez, a Bolsa havia caído tanto que as empresas estavam de graça. Foi quando fiz um investimento maciço em ações e rumei ao primeiro milhão três anos depois.

 

Para ganhar (e multiplicar) o primeiro milhão

O mais recente lançamento do autor, Investimentos inteligentes (Editora Thomas Nelson Brasil) demorou cinco anos para ficar pronto. Segundo Cerbasi, o livro foi escrito com base nas principais dúvidas enviadas por leitores, a partir das quais ele montou um panorama do mercado financeiro, detalhando prós e contras de cada tipo de investimento e dando orientações estratégicas e práticas para multiplicar o seu capital. Vale a pena conferir.


 

 
Recomendar Comentar Enviar por email Compartilhar Imprimir
COMPARTILHE NA REDE
ENVIAR POR EMAIL
Deixe seu comentário
edgardo luiz vergal comentou às 12h10 em 16/10/2011 responder denunciar

Devido a sua importância crucial na vida, o tema, ou melhor, a matéria chamada finanças pessoais deveria ser ensinada pelas famílias já em casas e nas escolas como se faz por exemplo em Singapura, e tantos outros países que deram certo. As dicas do Gustavo Gerbasi podem ajudar milhões de brasileiros que não tiveram um aula sequer sobre como lidar com dinheiro. Parabéns. Edgardo

simâo joâo eduardo ferraz comentou às 08h47 em 05/08/2010 responder denunciar

exmo sr:gustavo gerbasi sou de luanda(angola)gostei do disse, a muito tempo tentou controlar a minha economia ou(salario) e as depesa de casa. gostaria de obeter os teus livros.

Denunciar abuso no Site

Você está ajudando o Triada a controlar o conteúdo que está violando as políticas de privacidade do site.
Onde está o abuso que você está denunciando?


Adicione um comentário sobre essa denúncia:



Enviar

Obrigado!




  • + Da Semana
  • + Do Mês
  • + Comentadas
Inscreva-se em nossa Newsletter e receba em seu email nossas atualizações.

Twitter

Acompanhe-nos no twitter e fique por dentro das notícias em tempo real!
Siga-nos »
ACOMPANHE-NOS TWITTER ORKUT RSS NEWSLETTER