Conquiste o corpo dos seus sonhos

Publicado por Redação em 13/12/2010 às 13h38

Quer ter um corpão? Imaginá-lo é o primeiro passo do QI Mental, o método em que a força da mente é a grande responsável pela conquista do físico ideal. É, a ciência confirma: é possível usar o poder mental para emagrecer!

 

Texto • Diego Alencar

Já imaginou eliminar aqueles quilinhos extra e ganhar um corpão sem remédios, muito menos dietas radicais? Não é sonho. A ideia do QI Mental é que é possível perder peso apenas com a força do pensamento. Baseado em conceitos da medicina oriental, o método foi implementado no Brasil há cerca de cinco anos, pelo médico e acupunturista Ysao Yamamura, chefe do setor de Medicina Chinesa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Desde então, vem chamando a atenção na luta contra a obesidade.

A técnica tem sua origem no tao yin, espécie de yoga chinês, existente há 2.500 anos (veja o quadro mais abaixo). De acordo com sua filosofia, toda enfermidade ou distúrbio físico tem uma origem emocional e é desencadeada a partir de um registro armazenado em nosso subconsciente. Às vezes, ele vem do útero materno e até mesmo de nossos ancestrais.

No caso da obesidade, a herança que nos atrapalha é o medo de morrer de fome. Mesmo sem percebermos, muitas vezes, a lei da sobrevivência é ativada em nosso subconsciente. Comer em excesso e não eliminar a gordura acumulada são, portanto, maneiras de nos mantermos vivos. Com o QI Mental é possível resgatar a memória do passado e alterar essas reações.
 

Ele mesmo comprovou

O médico João Isamu Yokoda garante, por experiência própria, a eficiência da técnica. Em 2000, Yokoda era considerado um obeso: pesava quase 110 quilos para 1,70 m de altura. Ao conhecer o QI Mental, viu a possibilidade de resolver seu problema de uma maneira natural. Resultado: em dois meses enxugou 20 quilos. Por isso, há cinco anos, o especialista em cirurgia geral, acupuntura e homeopatia desenvolve tratamentos baseados na mobilização do QI – energia, no idioma chinês – no setor de Medicina Chinesa e Acupuntura do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Hoje, Yokoda atende a pacientes que querem seguir seu exemplo. O método consiste em um workshop de quatro horas de duração direcionado a cerca de 30 pessoas. Durante a apresentação, a compreensão do método é exercitada pela repetição e imaginação. Ali mesmo, o paciente inicia o processo de redução de peso a partir da construção da imagem do corpo ideal. Segundo o médico, cerca de 60% dos pacientes já saem curados após esse primeiro contato com o método. Os outros 40% precisam de uma consulta individual para apagar os registros residuais que impedem seu emagrecimento.

A partir daí, não há restrições alimentares. As únicas regrinhas são fazer o exercício de mentalização várias vezes ao dia, adotar uma dieta saudável (sem excesso de enlatados e produtos industrializados em geral) e comer todos os dias nos mesmos horários, sem grandes intervalos entre as refeições. Fazer exercícios físicos também ajuda – segundo Yokoda, não para queimar calorias, mas para avisar a mente de que, apesar da perda de peso, a pessoa continua saudável.
 

 

O tao do equilíbrio

Muito similar ao yoga indiano, o tao yin tem raízes na China e na Tailândia de milênios atrás. O método mistura posturas corporais, alongamento, controle da respiração e meditação, e tem como objetivo conectar o indivíduo com sua própria essência e equilibrar corpo e mente. Os exercícios não são complexos, mas exigem muita concentração e dedicação.

 

 

“Limpe seu subconsciente e emagreça”

E aí, se interessou pelo método? Então, confira agora um bate-papo rapidinho com João Yokoda, o médico que comprovou na própria pele a eficiência do QI Mental.
 

Como você se especializou em QI Mental voltado ao emagrecimento?

Iniciei o aprendizado sobre o método com o médico Ysao Yamamura e resolvi aplicá-lo em benefício próprio: tenho 1,70 m e, na época, estava com 108 quilos. Em dois meses atingi 85 quilos, meu peso atual. Depois, passei a utilizar a técnica em colegas. Continuei a ter resultados positivos e, por isso, resolvi aplicá-la em meus pacientes.
 

Qual a vantagem do QI Mental em relação a outros métodos de emagrecimento?

A grande vantagem está em corrigir definitivamente o causador do problema, que é nosso medo instintivo de morrer de fome. Os métodos convencionais não combatem isso. Outro ponto importante é o custo. O gasto mensal com medicamentos indicados por diferentes métodos é quase equivalente ao valor pago por uma sessão de QI Mental, da qual o paciente pode sair curado logo de cara.
 

O QI Mental pode ser empregado com outras terapias para perder peso?

Não, muito pelo contrário. Em outras terapias, quando você começa a emagrecer, seu subconsciente dispara, como defesa, um alarme de que você morrerá de fome. Isso faz com que, tempos depois, a pessoa se alimente de forma ainda mais compulsiva. É o famoso efeito-sanfona, que coloca a saúde do paciente em sério risco.
 

Quantas pessoas o senhor atendeu? Qual foi o melhor resultado?

Com cinco anos de trabalho, já atendi a 800 pessoas. Algumas conseguiram perder 40 quilos. Mas nossa preocupação maior não é com números. O importante mesmo é que o paciente mantenha o corpo que deseja.